“O mundo real”, expressão muito utilizada para descrever o fim do ciclo de aprendizagem e o início de uma carreira profissional. A nascença pressupõe a entrada num ciclo vicioso vetorizado pelo dinheiro, o ser nasce, vai à escola onde inicia o processo de modelação consoante os alicerces em que a sociedade se baseia.

As crianças são intrinsecamente hedonistas, vivem o presente, a simplicidade do momento, são egoístas vivem para si. A escola desempenha um papel crucial na passagem desse estado hedonista para a orientação futura onde o sacrifício de hoje provisionará os frutos para o amanhã.